Flores comestíveis: um toque de sabor e beleza na comida!

Imagine um jardim lindo e florido. Agora imagine esse jardim no seu prato. Pode parecer estranho, mas não é. Na verdade, as flores comestíveis fazem parte do cardápio nosso do dia a dia. Couve-flor, alcachofra, brócolis e manjericão são flores, porém não são ornamentais.

Mas e aquelas flores do jardim? Bem, algumas delas são comestíveis e você pode se surpreender com seus sabores e usos. A primeira coisa que se pensa é que o seu colorido pode valorizar os pratos. Porém, o seu sabor e perfume podem enriquecer várias receitas e muitas delas também têm propriedades medicinais.

Que tal aprender mais sobre essas iguarias e experimentá-las? Vamos listar aqui algumas flores que você pode comer e talvez nem imaginasse, além de dar dicas sobre cuidados para o consumo das flores comestíveis. Boa leitura!

As flores comestíveis

Calêndula (Calendula officinalis)

Nativa da região do Mediterrâneo, Norte da África e Ásia. A coloração alaranjada intensa e o sabor que mistura notas adocicadas, apimentadas e levemente amargas são seu destaque. No entanto, como o seu miolo é muito amargo, apenas as pétalas são usadas.

Desde a Antiguidade, estas são secas e moídas para fazer um corante alimentício usado na produção de queijos e manteigas. As pétalas da calêndula também são acrescentadas na preparação de sopas, arroz, omeletes e peixes, como o açafrão.

Dentre as suas várias propriedades medicinais podemos citar o reequilíbrio hormonal nas mulheres. Porém, a calêndula não deve ser consumida durante a gravidez.

Rosas (Rosa sp.)

As rosas possuem origem asiática e tem um sabor perfumado que varia do delicado ao mais pronunciado de acordo com a coloração das pétalas. A base das pétalas tem sabor amargo.

As rosas são muito usadas para dar sabor a água e fazer chás. Seu uso é consagrado na culinária árabe pela água de rosas que faz parte de mousses, cremes e sucos. Na Inglaterra, entra na preparação de geleias, compotas e caldas, sendo até cristalizada. Também combina com saladas ou podem ser fritas na forma de tempura.

O chá de rosas é consumido como antigripal pelo seu alto teor de vitamina C.

Violeta verdadeira (Viola odorata)

Originou-se na Ásia, África e Europa. Mas atenção para não confundir com a violeta africana que, aliás, nem é violeta. É uma flor levemente adocicada e muito perfumada.

A violeta serve como ingrediente em saladas, pães e refogados. Mas seu uso mais comum é nos doces, chás, caldas, geleias, sorvetes e bolos. Em apresentações mais requintadas pode ser cristalizada ou utilizada para aromatizar manteiga.

As compressas feitas com a flor são usadas como anti-inflamatório e analgésico.

Lavanda (Lavandula officinalis)

Surgiu na região mediterrânea e hoje seu maior produtor é a França. Também conhecida como alfazema, seu uso vai muito além dos cosméticos. Seu sabor é picante, doce e muito perfumado.

Além do mel de lavanda produzido no Norte da África e na Europa, essa flor aparece em inúmeras preparações como bolos, chás, biscoitos, sorvetes, geleias e tortas. Empresta seu aroma e sabor característico a vinhos e ao vinagrete.

Suas propriedades calmantes são aproveitadas pela aromaterapia na área medicinal.

Amor-perfeito (Viola tricolor)

Prima da violeta e originária da Ásia Ocidental e Europa, esta flor tem pétalas aveludadas e sabor adocicado e refrescante.

É usada em saladas de frutas, tortas e outras sobremesas. Pode fazer o contraponto no sabor de pratos salgados como saladas e sopas. Também é possível aromatizar o vinagre com essa flor.

O amor-perfeito tem propriedades medicinais: ajuda a proteger os rins e pode ser usado contra dores de cabeça.

Hibisco (Hibiscus sabsariffa)

Originária do Havaí, essa flor tem sabor cítrico e uma certa acidez, por isso deve ser usada com moderação.

O hibisco é usado tanto em saladas, quanto em caldas. Mas pode aromatizar e dar um toque especial no sabor de bebidas (cervejas) e drinques alcoólicos, como ponches.

Seu uso como chá se tornou popular nos últimos anos por suas propriedades antioxidantes e emagrecedoras, mas seu consumo deve ser moderado.

Capuchinha (Tropaeolum majus)

Nativa do Peru é levemente picante e seu sabor é descrito como próximo ao do agrião.

A capuchina já frequenta as mesas de restaurantes finos em saladas ou preparados recheados. Pode ser cristalizada para decorar sobremesas ou aromatizar a manteiga numa elegante entrada. Suas sementes podem ainda ser usadas como pimentas.

O chá dessas flores tem propriedades digestivas e melhora a imunidade por ser rica em vitamina C.

Dente de leão (Taraxacum officinalis)

Essa flor amarela vem da Eurásia e tem sabor adocicado, parecido com mel.

O dente de leão pode ser refogado, empanado ou usado em saladas e geleias. Na Europa, faz parte de um vinho aromatizado com limão, mel e açúcar.

Seu chá é rico em cálcio, mas deve ser consumido com moderação.

Cuidados no consumo das flores comestíveis

Alguns cuidados devem ser tomados na compra, preparação e consumo das flores comestíveis.

  • As flores aqui descritas devem ser compradas em casas de alimentos orgânicos ou cultivadas em seu jardim. Não é recomendável comprá-las em floriculturas quando a finalidade é culinária. Isso porque as flores vendidas nessas casas podem ter sido tratadas com agrotóxicos;
  • a recomendação se estende a flores cultivadas em beiras de vias públicas, pois podem ter ficado expostas a água suja e contaminada. Compre apenas quando conhecer a procedência;
  • os estames e outras partes das flores podem desencadear crises alérgicas em pessoas mais sensíveis ou já propensos a alergias;
  • em alguns casos, como foi citado acima, as grávidas não devem comê-las;
  • a limpeza das flores exige delicadeza. Use spray de água pura e seque com papel absorvente;
  • retire as partes mais amargas como miolos, estames e, em alguns casos, a base das pétalas;
  • para conservar, coloque as flores na geladeira dentre de potes tampados com papel toalha umedecido.

Seguindo essas dicas, você poderá fazer novos pratos com flores comestíveis que nem havia pensado com segurança. Afinal, o consumo de flores é tradicional em algumas culturas mais antigas. Culinárias como a mediterrânea e do Japão utilizam flores como ingredientes em várias receitas.

Gostou da ideia? Que tal fazer um jantar diferente? Você também pode contar com os serviços de um Personal Chef que já inclua flores comestíveis em seus cardápios. São pratos sofisticados, charmosos e com um toque de feminilidade que irão surpreender seus amigos. Saia do convencional e descubra novos sabores.