A cozinha oriental: conheça os principais sabores da culinária

Rica em molhos, temperos e especiarias, a cozinha oriental vem ganhando cada vez mais fãs no Brasil. Apesar de por aqui a culinária japonesa ser a mais conhecida, o termo refere-se a todas as iguarias preparadas nos países da Ásia Oriental e Sudoeste Asiático.

O legal é que cada lugar do continente possui uma cozinha única, cheia de detalhes que as diferenciam das demais. Entretanto, há pontos em comum: todas são saudáveis, complexas e muito saborosas.

Quer viajar direto para o Oriente? Então, continue conosco! A seguir, você vai conhecer as particularidades das culinárias chinesa, japonesa, tailandesa, filipina e indochina.

As principais características da cozinha oriental

Com mais de 3 mil anos de antiguidade, a cozinha oriental — também conhecida como cozinha asiática — é marcada por sua variedade de aromas, temperos e sabores.

Cada um dos países tem as suas particularidades nas formas de escolher, preparar e servir os alimentos. Apesar disso, há pontos em comum. De modo geral, a culinária oriental é bastante equilibrada. Rica em vegetais, massas, peixes e ingredientes frescos, ela só perde para a cozinha mediterrânea quando o assunto é comida saudável.

Uma das razões para isso é a forma como os alimentos são preparados — quase sempre refogados, salteados ou cozidos a vapor. No continente, as frituras não são tão habituais como no Brasil.

Além disso, outro ponto característico da cozinha oriental é a sua estética impecável. Há um cuidado muito especial no momento de apresentar os alimentos, aspecto que é admirado (e seguido) por chefes do mundo todo.

Prova disso é o conceito de cozinha Pan Ásia, tendência que muitos restaurantes vêm adotando. A ideia é oferecer cardápios com pratos asiáticos de diversas regiões — sempre respeitando a forma original de preparar e apresentar os alimentos.

Para ajudar você a fazer um jantar asiático incrível em sua casa, separamos alguns dos ingredientes mais comuns do continente. Depois, você vai conhecer as características das cozinhas dos principais países. Confira:

  • algas;
  • soja;
  • folhas e raiz de lótus;
  • peixes;
  • carnes brancas;
  • massas;
  • arroz;
  • shoyu;
  • vegetais frescos;
  • frutas;
  • gengibre.

A leve e saudável cozinha japonesa

Sem dúvidas, a culinária japonesa é a mais famosa entre os brasileiros. É possível encontrar um restaurante que sirva as iguarias em praticamente todas as cidades.

Entretanto, pouco se conhece da sua história. A cozinha do Japão recebeu bastante influências da China, que introduziu os famosos palitos de madeira (hashis) e o shoyu (molho de soja) à culinária do país vizinho.

Depois, os japoneses foram influenciados pelo budismo, o que fez com que eles começassem a comer muitos vegetais (a religião pregava o vegetarianismo). Porém, por ser uma ilha, o país nunca abandonou o hábito de comer peixes.

Hoje, a comida do Japão é marcada pela variedade de pratos e pela forma de servir as comidas em pequenos pedaços. Além disso, os ingredientes saudáveis também são marcas registradas. Os mais comuns são o arroz, peixes crus, algas, frutos do mar e vegetais.

Ao contrário do que muita gente pensa, contudo, há muitas preparações japonesas que são familiares ao paladar ocidental. O teriaki, por exemplo, é uma espécie de churrasco muito saboroso feito com peixe, carne, frango, porco ou vegetais.

Os temperos da culinária japonesa, diferentemente da China, costumam ser discretos. São alguns dos condimentos mais utilizados:

  • o shoyu;
  • o mirin (óleo de gergelim);
  • o missô (pasta de soja);
  • o wasabi (raiz forte);
  • o saquê;
  • o vinagre de arroz etc.

Principais ingredientes

  • arroz japonês;
  • shoyu;
  • peixes;
  • ovas de peixe;
  • carnes;
  • macarrão;
  • algas;
  • soja;
  • feijão azuki
  • gengibre;
  • tofu (queijo de soja);
  • daikon (rabanetes);
  • katsuobushi (conserva de carne com atum);
  • panko (migalhas de pão);
  • negi (tipo de alho-poró);
  • yuzu (fruta típica);
  • umeboshi (tipo de ameixa seca);
  • mirim;
  • missô;
  • wasabi;
  • saquê;
  • vinagre de arroz;

Receitas típicas

Se você quer fazer um jantar japonês incrível na sua casa, existem algumas receitas que não podem faltar. Além dos tradicionais sushi, sashimi e teriyaki, uma dica é apostar em um belo tempura ou lámen (apesar de ter origem chinesa, esse prato é muito comum no Japão).

Inspire-se nas iguarias típicas que separamos para você:

Sushi

Quem não conhece o sushi, não é mesmo? Feito com bolinho de arroz enrolado em uma alga, o prato pode ser combinado com diferentes peixes, frutos do mar, vegetais e até ovo. O tempero fica por conta do vinagre, açúcar e sal. Existem diversos tipos de sushi, sendo o uramaki, norimaki e temaki um dos mais conhecidos.

Tempura

Clássico, o tempura — vegetais ou frutos do mar fritos e envoltos em uma massa fina — costuma agradar o paladar dos ocidentais. Para ser fiel às origens asiáticas, o ideal é servi-lo com um molho agridoce.

Yakissoba

Colorido e muito saboroso, o yakissoba é um macarrão tipo lámen frito servido com carne, peixe, frango e legumes frescos. É outro prato bastante conhecido pelo ocidente e que costuma agradar diferentes paladares.

Outras iguarias

  • yakitori: espetinho japonês com pedaços de carne;
  • kare rice: arroz com cury, carne e legumes;
  • sukiyaki: fatias finas de carne bovina acompanhadas de vários ingredientes, como cebola, macarrão japonês, acelga, cebola, etc.;
  • sashimi: pedaços de carne crua (geralmente peixe) servidos com shoyu, wasabi ou algas;
  • gyoza: pastéis com recheio de carne.

Pratos exóticos

Assim como qualquer outro país distante, o Japão também esconde preparações bastante exóticas para o paladar dos brasileiros. Um exemplo é o shirako, que nada mais é do que esperma de peixe (geralmente bacalhau). Com a consistência parecida a de uma lula, a iguaria pode ser servida frita ou cozida.

A combinação de sabores da comida tailandesa

Assim como o Japão, a Tailândia tem uma culinária bastante saudável. Seus pratos contam com muitas verduras, frutas, legumes e condimentos frescos. Entretanto, há uma diferença crucial: os tailandeses abusam dos temperos (principalmente da pimenta), o que faz com que as iguarias do local tenham um sabor muito marcante.

Por lá, é comum combinar temperos picantes, doces, ácidos e salgados em uma só comida. Além disso, a maioria dos pratos conta com uma infinidade de ingredientes. E engana-se quem pensa que toda essa mistura não dá certo: o resultado dessas harmonizações complexas é impressionantemente delicioso!

O ingrediente principal da cozinha tailandesa é o arroz, que pode ser feito frito, no vapor ou cozido. Coentro, capim cidreira, kaffir, cúrcuma da terra, alho, gengibre, pimentas, limão e os molhos de peixe e de ostra são outros elementos indispensáveis.

Assim como no Brasil, a culinária da Tailândia varia de acordo com a região. No Norte, por exemplo, as preparações com leite de coco são a marca registrada. Já no Nordeste, as carnes picantes são os elementos que predominam. O Sul, por sua vez, recebe muitas influências indianas (sendo os curries os ingredientes principais).

Aliás, toda a cozinha oriental tailandesa possui traços de outros países, como China, Índia e Portugal. Tudo isso faz com que a Tailândia tenha uma das culinárias mais complexas, ricas e sofisticadas do mundo.

Principais ingredientes

  • arroz;
  • noodles (macarrões de arroz);
  • frutos do mar;
  • legumes;
  • frutas (papaia, manga, tamarindo, banana, jaca e goiaba são as mais comuns);
  • pimentas;
  • curry verde ou vermelho
  • galanga (raiz da família do gengibre);
  • coentro;
  • capim-limão;
  • folhas de limão;
  • leite de coco;
  •  kaffir.

Receitas típicas

Se você quer fazer comida tailandesa, prepare-se para utilizar muitos ingredientes, especiarias e pimenta. Além disso, é bom ter um cuidado extra na preparação dos alimentos. Isso porque os tailandeses não terminam de comer um prato se ele não estiver sido bem feito. O respeito com o alimento é muito importante para eles.

Veja algumas receitas típicas do país:

Fried rice ou kao pat

Considerado uma espécie de “mexido oriental”, o fried rice é um arroz frito misturado com pedaços de carne, geralmente frango e porco. Junto a isso, acrescenta-se cenoura, cebola e pimentão. Um pouco de molho de peixe, açúcar e pimenta completam a iguaria. Há algumas variações do prato, que chega a contar com uma versão no estilo americano — nesta, leva-se molho barbecue e um ovo frito por cima.

Kai yang

Originário do Nordeste da Tailândia, o kai yang é um frango que, depois de marinado, é grelhado em uma chama de carvão vegetal por um longo período. Para acompanhar, um pouco de arroz pegajoso e som tam (salada agridoce com especiarias).

Pad thai

Clássico, o pad thai é um macarrão de arroz frito servido com camarão, ovo, tofu e brotos de feijão. Para temperar, utiliza-se cebolinha, molho tamarindo, molho de peixe, alho, pimenta vermelha, açúcar, castanhas e limão.

Outros pratos

  • laap pet: pato temperado com molho de peixe, suco de limão, pimenta e hortelã e acompanhado de arroz pegajoso;
  • green curry: sopa à base de leite de coco, curry e pimentas verdes;
  • tom yam: sopa picante temperada com açúcar, capim limão, suco de limão e pimentas. Há pedaços de peixe e frutos do mar;
  • pad kra pao gai: frango moído preparado com muita pimenta e manjericão. Para acompanhar, o habitual arroz pegajoso.

Pratos exóticos

Sabe aquele ratinho que faz você entrar em desespero quando aparece na sua casa? Pois saiba que esse bichinho é uma iguaria na Tailândia. A procura é tanta que lá já existe até a profissão de caçador de ratos! Você encararia?

As técnicas da culinária chinesa

Com cerca de 4 mil anos de antiguidade, a culinária chinesa é uma das mais ricas do mundo. O conceito ying e yang — que visa o equilíbrio — também é levado para o prato.

Por isso, é comum encontrarmos jantares com diversas comidas diferentes. Isso ocorre porque uma ceia chinesa original deve trazer elementos que se complementem. Assim, deve-se servir um prato doce (yin) e outro salgado (yang), um macio (yin) e um crocante (yang), um frio (yin) e um quente (yang) e assim por diante.

Outras características marcantes da cozinha chinesa são a variedade de pratos e as técnicas de preparo. Considerado o terceiro maior país do mundo, a China tem uma extensão territorial que favorece o plantio de uma infinidade de alimentos e aumenta as variações de elaboração das iguarias — assim como ocorre no Brasil.

Além disso, os chineses utilizam uma série de técnicas ao manejar os alimentos. A p’á, por exemplo, consiste em aromatizar o óleo previamente com gengibre, dentes de alho e cebolinha. Feito isso, ele estará pronto para receber pedaços de vegetais, carnes ou frutos do mar para serem salteados.

A alimentação diária dos chineses conta com ingredientes simples (como o arroz e a soja), mas variados. O tempero é feito com pouco sal e alguns molhos, pastas e conservas. A seguir, listamos alguns dos alimentos principais:

Principais ingredientes

  • arroz;
  • soja;
  • gengibre;
  • cogumelos;
  • trigo;
  • macarrão;
  • peixes;
  • frutos do mar;
  • carnes;
  • tofu.

Receitas típicas

Listar as principais receitas típicas da China é tarefa difícil, pois o tamanho do país possibilita uma rica variação de pratos. No Sul, por exemplo, o arroz costuma ser o ingrediente principal. Ao contrário do norte, onde o macarrão predomina.

Já a região próxima à Rússia sofre influência da culinária deste país, caracterizada por sabores marcantes — lá, é possível encontrar carnes assadas, guisados, entre outros. Por essa variação, separamos algumas iguarias de acordo com cada território. Confira:

Norte

O clima frio do norte aumenta as necessidades calóricas dos habitantes. Talvez seja por isso que o macarrão é o ingrediente preferido da região. Uma das especialidades do local é o niúroùmiàn, uma sopa de noodles servida com carne picante.

O Pato de Pequim é outra iguaria local. Servido com fatias de pepino e massas que se assemelham a panquecas, é um dos pratos preferidos dos turistas.

Sul

O arroz e a cana-de-açúcar são os ingredientes principais do Sul — região onde localiza-se o Cantão, que tem uma das culinárias mais influentes da China. Uma das especialidades do local é o Tángcù Guluròu, muito famoso no bairro Liberdade, em São Paulo. Trata-se de pequenos pedaços de porco servidos com um molho agridoce.

Outras regiões

Assim como o norte e o Sul, as outras regiões da China têm as suas particularidades. No leste, por exemplo, é comum misturar as comidas com molho de soja e açúcar. Além disso, o guisado de porco é um dos pratos preferidos da região.

O oeste, por ser um local montanhoso, encontra dificuldades em receber alimentos vindo de outros territórios. Por isso, os habitantes locais tiveram que desenvolver técnicas de preservação. Por lá, é comum os vegetais serem conservados em aguardente, por exemplo. Além disso, as carnes secas são bastante habituais.

Pratos exóticos

A China é conhecida por ter muitos pratos exóticos. E não é para menos: no país, é comum encontrarmos em algumas regiões iguarias diferentes, como larvas de abelha, gafanhotos, escorpiões fritos e biscoito de vespas. Você provaria?

Sabores da comida indonésia

Assim como acontece em diversos países, a culinária da Indonésia varia de acordo com a região. Além disso, o país recebe muitos turistas atraídos por suas belíssimas praias, fato que faz com que a cozinha sofra influências internacionais.

Entretanto, isso não quer dizer que a culinária do local não tenha identidade. Por lá, é comum o consumo de frutos do mar e peixes — o que não podia ser diferente, já que a Indonésia é considerada o maior arquipélago do mundo, composto por 17.508 ilhas.

O dourado, um dos peixes mais apreciados no Brasil, tem origem indonesa. Porém, lá ele é bastante popular e barato — diferente daqui. Outra semelhança entre os dois países é a abundância de frutas, ocasionada pelo clima tropical.

Mamão, melancia, coco e carambola são alguns exemplos de iguarias que são facilmente encontradas por lá. As especiarias secas — como cardamomo, canela, cravo, noz-moscada e cominho — também são vistas com frequência.

Obviamente, não podíamos deixar de falar do arroz, ingrediente tão importante na culinária oriental. O grão é um alimento básico da Indonésia e está presente em praticamente todos os pratos. Veja outros elementos comuns:

Principais ingredientes

  • arroz;
  • peixes e frutos do mar;
  • pimenta;
  • molho de soja;
  • massas;
  • carne de boi, frango e cabra;
  • ovo;
  • leite de coco;
  • amendoim;
  • tamarindo;
  • limão;
  • gengibre;
  • açafrão.

Receitas típicas

Dentre todas as cozinhas orientais, talvez a da Indonésia seja a mais parecida com a nossa. Lá é comum encontrarmos muitas preparações familiares ao nosso paladar, como o satay — espetinho de carne com creme de amendoim. A diferença crucial fica por conta da dificuldade em encontrar carne de porco e bebidas alcoólicas, já que a religião dos indonésios proíbe o consumo desses itens.

A seguir, listamos algumas receitas típicas — e deliciosas — do país.

Gado-gado

O gado-gado é uma salada de legumes e verduras cozidas no vapor. Pode-se encontrar preparações com couve-flor, vagem, tomate e batata. O amendoim e o leite de coco estão presentes no molho. Aliás, esses dois ingredientes são muito populares no país.

Rendang

Clássico, o rendang é uma das receitas mais saborosas da Indonésia. Não é à toa que ela já foi eleita a melhor receita do mundo de acordo com a CNN. Trata-se uma carne cozida com leite de coco e temperada com erva-cidreira, açafrão, gengibre e pimenta.

Nasi goreng

Bastante popular, o nasi goreng é um prato preparado com arroz frito no molho de soja e cozido com vegetais, condimentos e, às vezes, ovos, frango e mariscos.

Outras receitas

  • sambals: molhos apimentados;
  • soto: sopa de carne de frango, cabra ou boi;
  • ifu lie tjha: macarrão frito com carne;
  • ikan bakar: peixe grelhado servido com molho apimentado;
  • frango satay: frango grelhado servido com molho de amendoim, arroz ou vegetais.

Pratos exóticos

Apesar de ter uma culinária mais parecida com a do Ocidente, a Indonésia não ficará de fora da nossa listinha de pratos exóticos. O principal deles é o kopi luwak. Apesar do nome estranho, a iguaria nada mais é do que um cafezinho.

O exótico, contudo, fica por conta do processo de preparação da bebida. Primeiro, as sementes de café são ingeridas por uma civeta (bichinho parecido com um guaxinim). Depois, os grãos devem ser coletados nas fezes do animal. A partir daí eles são limpos e processados. Um cafezinho um tanto quanto diferente, não é mesmo?

A rica e variada culinária indochina

Localizados no Sudoeste Asiático, os principais países da Região da Indochina são o Vietnã, Tailândia e Malásia peninsular. O nome do território é uma referência aos países vizinhos: China e Índia.

Por consequência dessa proximidade geográfica, toda a região indochina sofreu influências das duas nações. Além disso, é possível encontrar referências da culinária da França — país que dominou o território até 1954 — em algumas localidades.

Entretanto, a Indochina tem a sua própria personalidade, marcada por pratos que exigem longos processos de preparação. As frutas e legumes são abundantes no local, assim como os peixes, frutos do mar e carnes de frango, boi e porco.

Veja alguns ingredientes bastante utilizados na culinária da região:

  • peixes e frutos do mar;
  • carnes de frango, boi e porco;
  • raiz de gengibre;
  • capim-limão;
  • arroz;
  • massa;
  • coco.

Receitas típicas

Com referências de diversos países, a Indochina é dona de uma culinária rica, variada e saborosa. Separamos três receitas mais populares da região. Confira:

Sajoer kerrie

O sajoer kerrie é uma espécie de molho pesto — com azeite, castanha, pimenta, coentro, cominho, gengibre, açafrão e leite de coco — servido com legumes cortados ao cubo. Para acompanhar, um pouco de arroz branco.

Nem chua

Muito popular no Vietnã, o nem chua é um rolinho de carne de porco temperado com alho e pimenta. O habitual é servir a iguaria em uma folha de bananeira.

Laap

Os laaps são cortes de carnes (galinha, pato, vaca ou porco) bem pequenos. Geralmente, eles são servidos com soja, chili, alho e muita hortelã — em alguns lugares, acrescenta-se coentro fresco.

Outras receitas

  • luan prabang: salada de camarão ao molho picante;
  • samlar machu: sopa temperada com tamarindo e servida com peixe e tomate;
  • trai me thit bo: bifinhos de vaca com molho tamarindo.

Pratos exóticos

A Região da Indochina é dona de muitos pratos exóticos. Porém, o destaque vai para a carne de cachorro, consumida no Vietnã. O prato é servido em diversos restaurantes locais, o que gera uma enorme discussão entre as organizações de proteção animal.

As diferenças que unem as cozinhas orientais

Cada culinária da região asiática tem características únicas. Entretanto, todas elas possuem uma qualidade que é típica dos orientais: o zelo com os alimentos. Os pratos, muitas vezes saudáveis, seguem rigorosas técnicas de preparo e apresentação.

Além disso, a culinária oriental é marcada pela presença constante do arroz — ingrediente base de muitos pratos. Os legumes, os frutos do mar e os condimentos quase sempre fresquinhos também são frequentemente vistos.

Agora que você viu quais são as principais delícias da cozinha oriental, assine a nossa newsletter e conheça outros sabores mundo afora!