Comida árabe: descubra mais sobre essa deliciosa culinária

Comida árabe: descubra mais sobre essa deliciosa culinária

Quando se fala de comida árabe, certamente, uma das primeiras referências que vem à mente são os temperos. Caracterizada pelo sabor que une tradições antigas e ritualidade ela tem, sobretudo, forte influência da religiosa.

A autenticidade da culinária árabe é indiscutível, especialmente por conta de seus ingredientes. Porém, ela também tem pontos da culinária indiana e até alguns traços franceses, mas sem deixar de lado o presente uso das típicas especiarias.

Por tantas características peculiares e únicas, essa culinária pode ser uma excelente opção de cardápio para servir aos seus convidados. Quer saber mais sobre ela? Continue neste post!

A origem da culinária árabe

Embora o mundo árabe seja composto por Estados diferentes, eles têm em comum a religião, o Islã. Essa religiosidade determina a vida desse povo em diferentes aspectos e influenciou, decisivamente, a culinária árabe.

Os árabes eram pessoas nômades e percorriam os desertos do norte da África. Seus animais (gado, cabras, ovelhas, camelos) serviam não apenas como meio de transporte humano e de mercadoria, mas também como uma fonte de alimento.

Justamente por isso, a culinária árabe é bastante baseada na carne. Nessa dieta, foram acrescentadas frutas secas como as tâmaras, o maná (pão do deserto), legumes em conserva, além de diversas especiarias.

Por outro lado, o peixe dificilmente é visto na cozinha árabe, uma vez que estraga rapidamente no deserto quente. Apenas em áreas ao longo das águas (Mediterrâneo, Golfo Pérsico, Nilo, Pacífico) ele é consumido com mais frequência.

Somente com a conquista de áreas férteis, como as próximas dos rios Nilo e Eufrates, os árabes conseguiram cultivar hortaliças (especialmente berinjelas), arroz e cereais e, assim, expandiram seu cardápio.

Os principais pratos e ingredientes árabes

Como você pode ver, a comida árabe é muito rica em sabores, e as especiarias têm grande peso nisso. Entre as mais utilizadas podemos destacar:

  • Cominho: um dos temperos mais comuns, tem sabor bastante forte e, por isso deve ser usado com moderação para não alterar o sabor do prato;
  • Cúrcuma: especiaria nativa da Índia, tem cor amarelo-alaranjada, como o açafrão, porém menos perfumada;
  • Harissa: concentrado de pimenta-malagueta, com alho e azeite, muito utilizado em todos os pratos da Tunísia. Também é muito apimentada;
  • Ras el hanout: seu significado é, literalmente, “o mestre da loja”. Esse tempero é uma mistura de um número infinito e ilimitado de especiarias do Magrebe, que pode incluir: cardamomo, noz-moscada, pimenta-preta, canela, cravo, gengibre, botões de rosa etc.

Com relação aos pratos, existem vários bastante conhecidos — e consumidos — por nós, brasileiros. Olhe só!

Quibe

Entre os mais apreciados por nós, o quibe é uma mistura de trigo, carne moída e temperos. Servido com limão para realçar seu sabor, esse prato pode ser preparado frito ou assado.

Esfirra

Outra que não pode faltar, especialmente em festas, a esfirra tem sua versão aberta ou fechada, além de uma infinidade de sabores.

Tabule

De origem libanesa, o tabule é uma espécie de salada preparada com o mesmo trigo utilizado para o quibe, acrescida de tomate, cebola, hortelã, limão e outros temperos.

Homus

Pasta preparada com grão-de-bico, gergelim, azeite e alho, é uma opção perfeita para servir com petisco ou como entrada.

Doces

E não podíamos deixar de falar dos doces. Afinal, toda boa refeição pede uma sobremesa à altura, concorda?

Os doces na culinária árabe são, em sua maioria, preparados com mel, nozes e frutas secas, e ainda podem levar um toque de essências florais. Bem mais açucarados que nossos doces, mesmo assim, caíram no gosto dos brasileiros e são muito consumidos, tais como os famosos Ninho e a torta Baklava.

A importância do pão na comida árabe

O pão é um dos elementos que está presente em, praticamente, todos eles. Como geralmente se come nos países árabes com os dedos, o pão entra não apenas como parte do prato, mas também como um substituto aos talheres. Assim, ele é usado para “pegar” a comida e os molhos.

Por ser um alimento tão fundamental para esse povo, é muito comum fazer pão em casa. Além disso, ele é um alimento tratado com o maior respeito. Se alguém encontra um pedaço de pão na rua, o pega e o coloca em um local onde não pode ser pisado. Além disso, comer pão junto com alguém é sinal de amizade e consolidação de laços.

A comida árabe tem características e sabores únicos, podendo ser um excelente tema de almoço ou jantar para reunir quem você ama.

Compartilhe este post em suas redes sociais e veja o que seus amigos e familiares acham dessa ideia!