Comida que combina com vinho: como fazer essa harmonização?

Beber vinho já é uma delícia, mas quando ele acompanha um saboroso prato tudo fica ainda mais especial, concorda? Mas a dúvida surge na hora de descobrir qual comida que combina com vinho e o mais indicado para cada acompanhar cada uma delas.

Isso acontece, principalmente, devido às inúmeras ofertas dessa bebida, o que agrada aos mais variados paladares, mas também pode nos confundir quando temos que escolher a ideal.

Pensando nisso, preparamos este post com dicas que vão esclarecer todas as suas dúvidas sobre o tema. Assim, o próximo almoço ou jantar que preparar na sua casa, será ainda mais perfeito! Descubra agora!

Enogastronomia: o primeiro passo para uma boa harmonização

A história do vinho como acompanhante de boas refeições vem de muito tempo. Há séculos, ele faz parte da mesa de muitas famílias. Exemplo claro é na Europa, onde as pessoas produziam o seu próprio vinho para o consumo.

Com a evolução da vinicultura, uma grande variedade de vinhos surgiu graças a tipos de uvas e métodos diferentes, permitindo a elaboração de bons exemplares característicos de cada região onde era feito.

A definição de enogastronomia advém da escolha pormenorizada de vinhos a partir de suas qualidades gustativas, visando acompanhar pratos diferenciados da cultura regional, tradicional e criativa.

Em outras palavras, é saber qual comida que combina com vinho e, principalmente, qual o ideal para cada uma delas, harmonizando aromas e sabores.

Comida que combina com vinho: como harmonizar

A escolha do vinho para acompanhar o seu prato pode ser feito de diversas maneiras, como pelo tipo da uva ou pela idade. De modo geral, escutamos bastante que peixes e aves combinam melhor com os brancos e as carnes vermelhas com os tintos mais fortes.

Realmente isso está correto, mas é claro que algumas combinações acabam sendo mais específicas para se obter a harmonização ideal.

No Brasil, por exemplo, mesmo com um clima tropical, é muito comum preferirmos os vinhos tintos aos brancos, o que não é ruim, visto que nosso consumo de carnes vermelhas também é grande, o que facilita as possíveis combinações.

Harmonização com carnes

Por falar em carnes, o vinho rosé seco — especialmente os de safras mais jovens, de até 7 anos — harmoniza muito bem com magras, além de pratos mais temperados e picantes.

Agora, se você quer um tipo de comida que combina com vinho que tenha mais de 7 anos, uma boa escolha são as carnes tanto gordas quanto magras, podendo ser assadas ou grelhadas.

Você até pode fazer o seu churrasco utilizando uma safra mais nova, porém, caso tenha a oportunidade de desfrutar dessa bebida mais madura, não deixe de escolhê-la. A harmonização é surpreendente!

Outra forma de combinar o vinho tinto é por meio das diferentes uvas. Cada qualidade harmoniza melhor com um corte diferente de carne.

Os filés são excelentes com os tintos Pinot Noir. Já com o contrafilé, use um Syrah ou Cabernet. No caso da deliciosa costela, é indicado o Chianti ou Cabernet. Para outros cortes de carnes vermelhas, é interessante escolher o Cabernet Souvignon ou Syrah.

Aqui, vale lembrar que você pode combinar o vinho com o molho da carne e não somente com o corte. Para os apimentados, procure um vinho branco Sauvignon Blanc ou Riesiling. No caso dos amanteigados, de queijo ou mais encorpados, prefira um Cabernet ou Syrah.

Já as carnes brancas vão muito bem tanto com vinhos brancos quanto com tintos. Se preferir esse último, uma boa opção são os suaves e médios, como o Pinot Noir, Tempranillo, Gamay, Merlot, Grenache e até mesmo um Sangiovese. No caso dos brancos, pode optar por uvas como a Chardonnay, Viognier ou Roussanne.

Massas e risotos

As massas são bem versáteis, o que auxilia na harmonização. Assim como o risoto, uma comida que combina com vinho perfeitamente.

Confira alguns preparados que casam muito bem com essa bebida.

Risoto com camarão

A manteiga e o queijo presentes no prato dão a cremosidade necessária para a combinação com vinho branco Chardonnay. Para as pessoas que não gostam de queijo com frutos do mar, o ideal é optar por um espumante.

Massa com molho funghi

Essa massa, se servida sem o acompanhamento de alguma carne, fica ainda mais saborosa com vinho tinto leve, por exemplo, o Pinot Noir. Agora, se tiver alguma ave ou carne, o vinho pode ser menos leve, como o Carménerè chileno.

Massa com ragu de pato

O pato, prato muito apreciado, é um tipo de comida que combina com vinho Carménerè, Syraz ou Sangiovese perfeitamente, acentuando ainda mais o seu sabor.

Risoto de cordeiro

O risoto já possui uma cremosidade por causa do queijo e da manteiga, e a gordura do cordeiro salienta isso mais. Dessa forma, uma boa combinação são com vinhos mais encorpados, como o Bordeaux, Malbec, Barolo, Cabernet ou Syrah.

Peixes, crustáceos e moluscos

Os moluscos harmonizam muito bem com vinhos brancos leves, como o italiano Pinot Grigio ou um português, que pode ser o Albariño ou o vinho verde. Já o caranguejo, a lagosta e as vieiras caem perfeitamente com o Chablis, vinhos verdes e o Sauvinon Blanc.

Peixes grelhados, sushis e camarão combinam com melhor com os brancos encorpados — o chardonnay e alguns espumantes ficam deliciosos com esses pratos.

O bacalhau se encaixa bem com os vinhos verdes, mas também pode ser combinado com tintos leves, por exemplo, Gamay e Pinot Noir.

Aperitivos

Por serem servidos no momento inicial das refeições, os aperitivos — queijos, nozes, patês, entre outros — ficam ótimos com os vinhos “coringas”, tais como os espumantes e o branco, especialmente o Sauvignon Blanc.

Para os embutidos (as salsichas, salame e presuntos), devido à gordura, é interessante optar pelos brancos frisantes ou espumantes. No entanto, também podem ser harmonizados com os tintos leves, como o Pinot Noir e Valpolicella.

Enfim, são várias as possibilidades de degustar um bom vinho acompanhado por uma deliciosa refeição. Por isso, não se limite! Siga seus instintos e arrisque testar qual comida que combina com vinho mais harmoniosamente.

Será que seus amigos sabem de tudo isso? Que tal compartilhar este artigo em suas redes sociais e descobrir quanto eles entendem de vinhos?